segunda-feira, 21 de março de 2011

Gente feita de ar, sol, lua, terra e água

Quem é de sol
viaja
na luz laranja
do horizonte

ou no ofuscante
holofote da memória

quem é de fogo
brilha,
chama
e esquenta

e entende a linguagem
da fumaça que vem
de qualquer tribo

quem é de lua
a gente tem de adivinhar
o dia de estar tudo bem

quem é de ar
voa mil léguas
quem é de mar
anda nas águas

dispensa a paz das tréguas
mas sempre acha
que é cedo
para encarar a paz eterna

quem é de terra
sabe onde os túneis vão dar
e suga o bem pela raiz

quem voa pelo mundo
conhece os campos de pouso
decola pra ir de flor em flor
adivinha quando
alguém vai embora
e compreende as voltas
que todo mundo dá

quem é de agora
vai se dar conta
num lugar tal
num tempo natural
de aprender a não ter pressa

3 comentários:

  1. Nossa Carlinhos, amei o poema! É bom ter você de volta com o blog!Fica a conclusão que eu sou de sol, fogo, ar, terra e agora! =)

    ResponderExcluir
  2. Excelente texto Carlos. Parabéns e adiciona o meu blog: http://diegodunga.wordpress.com e comente!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Abigail Gonçalves28 de abril de 2011 20:19

    Carlos amei! fundamental pra mim foi "aprender a não ter pressa"...
    Ah se eu tivesse me dado conta disto. Não teria corrido tanto e perdido muito mais.
    Bom demais refletir sua poesia. Quando vai lançar o livro? Quero estar lá!!!
    Deus te ilumine.
    Abigail Gonçalves

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Na rádio, sou o narrador de futebol, Carlos Augusto. Na TV, sou o repórter e apresentador Carlos Albuquerque. Aqui, neste blog, pretendo resolver essa "crise de identidade" e juntar os dois "Carlos"! Mas, no fundo, sou aprendiz, eternamente aprendiz! Sou filho da terra, de todas as terras que formam o planeta, de todas as substâncias que formam o universo. Sou irmão de todos os seres. Sou o pai da Luíza.