quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Encontros e perdas

O barco desnorteado
sem rumo
o barqueiro remou
para o sul

a vida desbotada
sem tons
o vivente se pintou
de azul

Sobreviveu
remou
achou o norte
o doce
e o sal

flertou com
a morte
chorou
com a lua
dormiu ao sol
sorriu na rua
para qualquer um

de qualquer jeito
caminhou

e fazia assim
toda vez que não
sabia aonde ir
saía por aí

até que um dia
se perdeu tanto de si
que não sabia mais voltar
para sempre estava só
e foi aí que se encontrou inteiro
para nunca mais.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Diálogo no ônibus III

- Por favor, o senhor pode sentar!
- Ah, muito obrigado, meu filho! Eu agradeço, mas vou continuar de pé, não se preocupe.
- Não, mas eu faço questão. Já me levantei para o senhor sentar!
- Não, não, não! Eu vou continuar de pé! Está bom assim! E você está me chamando de velho? Puxa! Hoje em dia, ninguém mais respeita a gente! Que absurdo!

Quem sou eu

Minha foto
Na rádio, sou o narrador de futebol, Carlos Augusto. Na TV, sou o repórter e apresentador Carlos Albuquerque. Aqui, neste blog, pretendo resolver essa "crise de identidade" e juntar os dois "Carlos"! Mas, no fundo, sou aprendiz, eternamente aprendiz! Sou filho da terra, de todas as terras que formam o planeta, de todas as substâncias que formam o universo. Sou irmão de todos os seres. Sou o pai da Luíza.