domingo, 23 de maio de 2010

A caminho

O perdão
está a caminho

sinto
desafogar
o coração

já posso
parar
e tomar uma
água

o perdão
vem direto
da fonte

eu peço
todo dia
toda hora

mesmo quando
não oro.

sábado, 15 de maio de 2010

Abstrato/Concreto

O último
verso
chega ao
fim

e o poeta
cai
na tentação
de se perguntar:

a qual
escola literária
pertence
minha obra?

Qual é o
meu estilo?

Entre a técnica
e a inspiração
ele se perdeu.

Mas, para que
tanta preocupação,
se até mesmo
a poesia
concreta
é pura abstração.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Desengasgo

Palavras
vagam
pelo quarto

e batem,
desgovernadas,
nas paredes da boca.

Que céu,
que nada.
Elas infernizam
o pensamento,

interrompem
meditações.

Não se
conformam
enquanto não
são ditas,
escritas,
pichadas,
gritadas,

mesmo que
pouco tempo
depois,
sejam deixadas
num canto,
esquecidas.

Mas,
não importa.
Humilhante
para uma palavra
é morrer sem ter nascido,
sem mostrar a cara,
asfixiada,
engolida,
como se fosse saliva.

Palavra
tem de sair do corpo
que a abriga.

Nem precisa
conhecer a fama
basta um sopro,
um segundo
de vida.

Quem sou eu

Minha foto
Na rádio, sou o narrador de futebol, Carlos Augusto. Na TV, sou o repórter e apresentador Carlos Albuquerque. Aqui, neste blog, pretendo resolver essa "crise de identidade" e juntar os dois "Carlos"! Mas, no fundo, sou aprendiz, eternamente aprendiz! Sou filho da terra, de todas as terras que formam o planeta, de todas as substâncias que formam o universo. Sou irmão de todos os seres. Sou o pai da Luíza.