segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Passa um filme

Lá vem ela
a se exibir pra mim
completamente nua
Eu a vejo tão feia e tão bela
quando estou na rua
fazendo o meu caminho
de Santiago de Compostela

Haikai na chuva

Um raio cai do céu
sobe à cabeça do poeta
e um haikai no papel

domingo, 15 de setembro de 2013

O voo do haikai

Um haikai
voa sobre minha cabeça,
cai em cima da mesa
e se despedaça no chão.
Eu, com a faca
e o queijo na mão,
fico sem a sobremesa
e sem o pão.

Três pontos

Decidiu entregar os pontos:
afirmações,
exclamações,
interrogações.
De vida,
não queria mais nenhum sinal.
Já havia retirado as vírgulas do caminho.
Sem aspas nas palavras.
Sem palavras.

Só não sabia resolver
o ponto principal:
a abstração das reticências,
esses três porquinhos,
que não têm medo
do lobo mau.
Três pontinhos,
que debocham do ponto final.


Fim de carnaval

O coração virou um porto seco.
Sem navios, sem mar,
sem graça.

Nada a exportar.
E a quem importa
se não há mais quem esperar?

Estava quase aprendendo a andar,
e de repente não via mais o chão.

Estava quase aprendendo a voar,
mas faltava ar.

Um aperto no peito
e não era abraço.

Quem sou eu

Minha foto
Na rádio, sou o narrador de futebol, Carlos Augusto. Na TV, sou o repórter e apresentador Carlos Albuquerque. Aqui, neste blog, pretendo resolver essa "crise de identidade" e juntar os dois "Carlos"! Mas, no fundo, sou aprendiz, eternamente aprendiz! Sou filho da terra, de todas as terras que formam o planeta, de todas as substâncias que formam o universo. Sou irmão de todos os seres. Sou o pai da Luíza.