domingo, 4 de outubro de 2009

Embarque

Sabe esse rio?
Dizem que ele desce

É só subir
o rio
que dos males
se esquece

Basta
avistar o rio
e se encontrou o vale

Mas, todo
rio,
dizem,

nasce
tão longe
na serra

da pedra
sai um fio
d'água

e de repente
um córrego
um filho
da mãe d'água

e morre
o rio
ainda jovem
no porto
onde se faz
o parto
de todos os
mares

mas todo rio
o rio inteiro
qualquer rio
verdadeiro

é um homem
esperto
sempre a fugir
do mundo ruim
para disfarçadamente
se esconder
no oceano
e se fingir de mar morto

E na velhice,
o rio é Doce
o peixe disse
que o Rio Velho
é um espelho

é vermelho depois
do meio-dia

e à tarde
espalha
paz
que a gente pesca
pensando ser
melancolia

é o peixe
que o rio vende

o rio leva
a água
lava a égua
e engana
a quem está
crente que ele chora

gosto de lágrima
quem tem é o mar

já o rio
ri da gente
engana
se faz
de tonto
santo
e louco

o rio
encanoa
a gente

Um comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Na rádio, sou o narrador de futebol, Carlos Augusto. Na TV, sou o repórter e apresentador Carlos Albuquerque. Aqui, neste blog, pretendo resolver essa "crise de identidade" e juntar os dois "Carlos"! Mas, no fundo, sou aprendiz, eternamente aprendiz! Sou filho da terra, de todas as terras que formam o planeta, de todas as substâncias que formam o universo. Sou irmão de todos os seres. Sou o pai da Luíza.